Fotografia: António CunhaFotografia: António CunhaFotografia: António Cunha


Identificação do Monumento:

Castelo de Noudar

Localização:

Barrancos, Beja, Portugal

Data de construção do monumento:

Sécs. II-III a VII H. / VIII-IX a XIII AD

Período / Dinastia:

Omíadas, primeiras taifas, almorávidas, almóadas

Descrição:

Situada entre dois cursos de águaa fortificação de Noudar surge-nos hoje como um dos pontos mais isolados do território de Beja, distante das principais vias, fora das áreas agrícolas mais férteis e dentro de um território onde foi, em grande parte, a actividade mineira justificar uma tão persistente presença humana.

Ocupando uma plataforma xistosa situada entre as ribeiras do Ardila e do Múrtega, perto da sua confluência numa única linha de água, a vila abandonada de Noudar tem um recinto amuralhado com aproximadamente 12800 metros quadrados de área. Assente na coroa rochosa situada 275 metros acima do nível do mar, o perímetro amuralhado que hoje se vê, numa extensão de 500 metros, corresponde à grande campanha dionisina dos inícios do século VIII AH / XIV AD.

É provável que este sítio se tratasse de uma simples torre (burdj) ou atalaia que servia de protecção a um pequeno povoado, cuja função pode ter sido a de controlar a entrada neste limite da kura. Poderá ser do período islâmico o pano de muralha em taipa, com cerca de 50 m. de extensão, revestido por alvenaria de xisto, que corre ao longo do lado sul da alcáçova. Tal hipótese necessita, contudo, de ser aferida através de uma intervenção arqueológica. Em todo o caso, e ainda que não se venha a confirmar uma datação do período islâmico para aquele troço da muralha é inequívoco, até pela diferença de cota entre o interior da alcáçova e o seu exterior, que a linha onde aquela estrutura foi edificada corresponde ao limite meridional do burdj.

O povoamento em época islâmica esteve evidentemente relacionado com a estrutura militar que aqui existiu. Do ponto de vista da topografia do local sustenta-se que a implantação desta torre corresponderia ao ponto mais alto do sítio, depois ocupado pela alcáçova cristã. A área ocupada por esta estrutura e áreas adjacentes seria de 2000 metros quadrados. As escavações sistemáticas conduzidas no local por Miguel Rego permitiram-lhe constatar a presença de uma outra zona de ocupação, situada perto do extremo norte do castelo actual e que se encontra fisicamente separada do burdj. Comprovou-se ainda que a área entre estes dois espaços (torre e zona habitacional) nunca conheceu ocupação em época islâmica. Finalmente, admite-se a possibilidade de ter havido extra-muros um conjunto de casas que não deveria exceder os 1500 metros quadrados. Ao todo, a área habitada deveria rondar os 10000 metros quadrados.

View Short Description

Ocupando uma plataforma xistosa situada entre as ribeiras do Ardila e do Múrtega, perto da sua confluência numa única linha de água, a vila abandonada de Noudar tem um recinto amuralhado com aproximadamente 12800 metros quadrados de área. O povoamento em época islâmica esteve evidentemente relacionado com a estrutura militar que aqui existiu e com a actividade mineira que justificou a ocupação do território. Do ponto de vista da topografia do local sustenta-se que a implantação de uma torre corresponderia ao ponto mais alto do sítio, depois ocupado pela alcáçova cristã.

Como foi estabelecida a datação:

O monumento foi datado através dos materiais arqueológicos recolhidos nas escavações realizadas no local, assim como pelo paralelo tipológico entre as suas muralhas e as outras conhecidas no Sul de Portugal.

Bibliografia seleccionada:

Rego, M., “Investigações arqueológicas no Castelo de Noudar”, Arqueología en el entorno del Bajo Guadiana, Huelva, 1994, pp. 37-53.

Rego, M., Noudar (Barrancos): do Calcolítico à vila medieval, tesina em Arqueologia apresentada à Universidad de Huelva, 2001.

Rego, M., “Noudar no contexto da margem esquerda do Guadiana em época islâmica”, Actas de las I Jornadas de Cultura Islámica, Almonaster la Real, 2001, pp. 99-112.

Rego, M., “A ocupação islâmica de Noudar”, Arqueología Medieval, n° 8, Porto, 2003 pp. 69-82.

Citation:

Santiago Macias "Castelo de Noudar" in "Discover Islamic Art", Museum With No Frontiers, 2022. 2022. https://islamicart.museumwnf.org/database_item.php?id=monument;ISL;pt;Mon01;28;pt

Autoria da ficha: Santiago Macias

Número interno MWNF: PT HH

RELATED CONTENT

 Artistic Introduction

 Timeline for this item


Download

As PDF (including images) As Word (text only)