Designação do objecto:

Pilar ornamentado

Localização:

Lisboa, Portugal

Museu titular:

Museu Arqueológico do Carmo

About Museu Arqueológico do Carmo, Lisboa.

Datação do objecto:

Século III-IV AH / IX-X AD

Número inventário do Museu titular:

Esc. 404

Material / Técnica:

Calcário; escultura em baixo-relevo.

Dimensões:

Alt. 95 cm, larg. 43 x 41 cm

Período / Dinastia:

Omíadas de Córdova, período califal

Descrição:

Fragmento de pilar que, presumivelmente se encontrava a dividir as naves de um pequeno templo monástico, no subúrbio oriental da cidade de Lisboa. Neste santuário moçárabe veneravam-se as relíquias de S. Félix e S. Adrião.

Trata-se do fragmento de um pilar decorado nas suas quatro faces, com grifos e centauros inseridos em medalhões, formados por láureas enlaçadas que se iam sobrepondo na vertical, em cada face do pilar. Hoje conservam-se intactos cinco desses medalhões e restam os fragmentos de mais dois, já na segunda fiada ornamental. Tal como outras esculturas coevas de Lisboa, estes baixos-relevos expressam um elevado sentido decorativista e manifestam um assumido “horror pelo vazio”, tal é a densidade ornamental de cada painel. Esta sensação de plenitude decorativa é reforçada pelo preenchimento dos cantos e dos espaços intercalares das láureas com caprichosas palmetas, que às vezes parecem derivar da flor-de-lis, a quem se multiplicou o número das folhas ou lóbulos foliares. Os animais fantásticos, com posições variadas e de sentido oposto, são esculpidos mediante a escavação do respectivo contorno, apresentando um relevo a dois planos, cuja face superior, correspondente ao corpo propriamente dito da besta, é animada por traços gravados na pedra, de modo a evidenciar os detalhes anatómicos. As coroas de louros e as palmetas são, por seu turno, tratadas a bisel, tudo à semelhança de outras peças de Lisboa encontradas em diversos locais, mas que indubitavelmente foram produzidas pela mesma oficina de artistas.

View Short Description

Fragmento de pilar que, presumivelmente, se encontrava a dividir as naves de um pequeno templo monástico, no subúrbio oriental de Lisboa. Os motivos (animais fantásticos, coroas de louros, palmetas) e a gramática decorativa remetem para paralelos artísticos sassânidas, bizantinos e omíadas.

Titular original:

Mosteiro de São Félix e Santo Adrião, de Chelas (Lisboa)

Como foram estabelecidas datação e origem:

O pilar e demais peças ornamentadas, que se encontraram em Chelas, apresentam uma estrutura decorativa e um efeito plástico muito próximo de certos baixos-relevos omíadas, nomeadamente os quadrúpedes alados dentro de láurea, do palácio de Kirbat al-Mafjar (séc. II AH / VIII AD). Também é elucidativa a analogia que tem sido estabelecida com tecidos de origem sassânida e produzidos em Bizâncio, os quais se expandiram na bacia do Mediterrâneo durante séculos III-IV / IX-X. Cite-se, a título de exemplo, a seda bizantina do Cooper-Hewitt Museum (New York), cuja decoração é idêntica à dos baixos-relevos de Chelas e da Casa dos Bicos.

Historial da aquisição pelo Museu:

Adquirido pela Associação dos Arqueólogos Portugueses depois de ter sido identificado, no século XIX, por I. de Vilhena Barbosa.

Historial da proveniência:

Existe uma notícia, transmitida em 1864 por I. de Vilhena Barbosa, de que esta peça se encontrava embebida num muro do quintal da sacristia.

Bibliografia seleccionada:

Barbosa, I. V., “Fragmento de um roteiro de Lisboa (inédito). Arrabaldes de Lisboa”, Archivo Pittoresco, 7, Lisboa, 1864.

Caballero Zoreda, L., “Sobre Santa Comba de Bande (Ourense) y las placas de Saamasas (Lugo)”, Galicia no Tempo, Santiago de Compostela, 1992, pp. 75-115.

Fernandes, P. A., “Escultura de Alta Idade Média Cristã”, Roteiro da exposição permanente. Museu Arqueológico do Carmo, Lisboa, 2002, pp. 63-67.

REAL, M. L., “Os moçárabes do Gharb português”, Portugal Islâmico. Os últimos sinais do Mediterrâneo, Lisboa, 1998, pp. 35-56, 80-86.

VALDEZ, J. J. A. (1898), “Monumentos archeológicos de Chelas”, Boletim da Real Associação dos Architectos Civis e Archeologos Portuguezes, S. 3, 8 (3-4), Lisboa, 1898, pp. 55-59.

Citation:

Manuel Luís Real "Pilar ornamentado" in "Discover Islamic Art", Museum With No Frontiers, 2022. https://islamicart.museumwnf.org/database_item.php?id=object;ISL;pt;Mus01_C;25;pt

Autoria da ficha: Manuel Luís Real

Número interno MWNF: PT 34

RELATED CONTENT

Related monuments

 Artistic Introduction

 Timeline for this item


On display in

Discover Islamic Art Exhibition(s)

The Muslim West | The Co-existence of Three Cultures

MWNF Galleries

Architectural Elements

Download

As PDF (including images) As Word (text only)